sábado, 27 de janeiro de 2007

Hã?!

Nova terminologia linguística só será suspensa no próximo ano lectivo 26.01.2007 - 19h21 Lusa

O secretário de Estado Adjunto da Educação, Jorge Pedreira, precisou hoje que a experiência pedagógica associada à nova Terminologia Linguística para o Ensino Básico e Secundário (TLEBS) só será suspensa no próximo ano lectivo.
O responsável esclareceu que a portaria que será publicada no próximo mês só terá efeitos práticos em 2007/2008, ano lectivo em que, mesmo assim, "não vai realizar-se a experiência pedagógica com os alunos, já que não há condições técnicas para isso".
Ontem, o secretário de Estado tinha afirmado à agência Lusa que em Fevereiro seria emitida "uma nova portaria a suspender a experiência pedagógica da TLEBS", sem referir que a suspensão só entraria em vigor no próximo ano lectivo.
Segundo o primeiro subscritor da petição que reuniu mais de oito mil assinaturas contra a aplicação nas escolas dos novos termos gramaticais, o mesmo terá dito Jorge Pedreira na reunião que ontem realizou com os responsáveis daquela iniciativa. "O secretário de Estado garantiu-me que iam parar a experiência já este ano lectivo, através de uma portaria que vai sair dentro de poucos dias", disse José Nunes, autor da petição que será discutida no Parlamento.
No entanto, o governante esclareceu hoje que "este ano [lectivo], tudo se mantém na mesma" relativamente à experiência que tem estado a decorrer nas escolas. "A portaria é publicada em Fevereiro, mas a suspensão da experiência pedagógica só tem efeitos no próximo ano lectivo", afirmou.
Deste modo, o Ministério da Educação assegura não existir qualquer contradição entre Jorge Pedreira e o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, que na semana passada afirmou ao “Diário de Notícias” que "seria pouco responsável, a meio do ano lectivo" suspender a referida experiência.
Além de precisar a data de entrada em vigor da suspensão, Jorge Pedreira esclareceu igualmente que o trabalho de revisão científica e adaptação pedagógica não estará concluído em Maio, como afirmou ontem, mas apenas no início do próximo ano lectivo, o que inviabiliza a realização de qualquer experiência em 2007/2008, mesmo que num "grupo restrito de escolas".

5 comentários:

Amélia disse...

Claro que eles não vão suspender coisa alguma.Há demasiados interesses em jogo - e não propriamente pedagógicos.Vão é continuar a ludibriar os incautos, como o sr.José Nunes que ficou convencido.E se ele teve mérito com a sua petição!Não lho nego, claro.
Então e os editores? e os autores de gramáticas e manuais que tremem de pânico logo que ouviram falar de suspensão da Tlebs?E os que ganham com acções de formação em Tlebs?E a própria equipa que a fez e que deve estar a ser bem paga...ao ponto de colocarem à frente da equipa que, dizem, vai revê-la, um seu defensor e...marido de uma das autoras- além de conselheiro científico da gramática da ASA?

Professorinha disse...

A minha alma ficou parva quando resolveram implantar a TLEBS... Esperei que não o fizessem... Depois ainda ficou mais estúpida quando me disseram que os pobrs alunos do 12º ano iriam fazer o exame nacional já com a TLEBS... agora fica completamente atordoada com tamanha estupidez. Ai só para o ano é que se vai suspender? E este ano? O que se vai fazendo? Ensina-se algo que vai ser suspenso? Que palhaçada...

emn disse...

Não conhecendo o professor João Costa, apenas ouvindo falar da sua idoneidade, não me parece correcto, a haver tal envolvimento com uma das criadoras, que seja um dos «revisores»...

Que isto tudo - experimenta/generaliza não experimenta/ não generaliza - é uma palhaçada já ninguém tem dúvidas. (Parece-me que quem fala mais alto é o Lemos. Pelo menos o Pedreira recuou...) Já nada há dizer em relação a este Ministério - é uma brincadeira pegada - fugas para a frente sem saber o caminho (será um precipício? Não interessa!), portarias e circulares a contrariar a lei, textos a raiar a insanidade... Enfim! Demência.

soledade disse...

Esgotei a capacidade de perceber, de prever, de acautelar. Vou ao sabor dos ventos. E nem sei se a nau em que sigo é impelida pelos ventos da arrogância, da cupidez, ou da mera estultícia. Outro ano louco. E depois deste, outros virão. Estão tão farta, Eliana!

emn disse...

Também eu, Sol. Também eu.